Mês: setembro 2015

5 coisas que eu aprendi com meu pai

É obvio que aprendemos muito com nossos pais, mas nem sempre prestamos atenção né? Eu mesma só vim notar depois da adolescência hahaha fazer o que, antes tarde do que nunca!

Então vamos lá:

Primeira lição: Não saia do seu quarto antes de arrumar sua cama.

Essa parece até clichê, mas acredite, nisso ele era mais exigente do que a minha mãe. E mais: ele não só cobrava, mas dava o exemplo. Mesmo quando acordava as 3 horas da madrugada, se não tivesse mais ninguém dormindo na cama, ele arrumava! Ou então quando alguém largava a cama desarrumada (eu! haha) ele ia lá e arrumava direitinho. Um amor!

Segunda lição: Se organize, com tudo!

Ele não cobrava apenas o quarto, mas também os compromissos e finanças. Meu pai nunca usou uma agenda na vida, mas sempre teve “pochetes” ao invés de carteiras, pois com todo esse espaço ele conseguia organizar seus papeizinhos com todas as obrigações.

Terceira lição: Tenha na ponta do lápis quanto você ganha e gasta

Olha, essa dica ele nunca sentou comigo pra ensinar, mas eu to precisando pedir isso a ele hahaha gente, to nessa luta de aprender a controlar o dinheiro direitinho já faz anos. Porque uma coisa é receber o salário e anotar o que gasta. Outra é controlar o dinheiro do banco, cartão de crédito (que ainda nem tenho) e todas as fontes de ganhos.

E o meu pai, adivinhe: tem tudo controladinho!

Quarta lição: Planejamento

Você já deve imaginar que, com essa organização toda, meu pai é o rei do planejamento! Raramente eu propunha uma coisa e ele dizia “sim” ou “não” imediatamente, a resposta era sempre “vou pensar”, eu não gostava nada de ouvir isso mas hoje entendo como é importante.

Quinta lição: Cuide bem da sua mãe

Meu pai é o melhor possível e eu não o trocaria por nada no mundo. Porém, uma coisa que ele sempre enfatiza é: cuide bem da sua mãe, valorize-a porque não tem outra. Sei que o que ele quer dizer é que o que uma mãe faz, nenhum pai consegue fazer, eu sei que ele tem razão, mas isso não anula o fato dele ser o melhor pai do mundo.

Aprendi muitas lições com meu pai, essas são apenas umas que eu admiro muito.

E você, aprende muitas coisas com seu pai?

IMG_20150920_100252_081-1

Anúncios

Respeite pessoas como você respeita as tartarugas

Oi? Quê? Como assim Thalita? KKKKKKKKKKK calma, eu explico!

Pensei nisso hoje enquanto eu observava uma de minhas tartarugas comendo (uma das coisas mais legais de se ver). Sabe por que? Eu já tive vários animaizinhos, e de todos, as tartarugas são as criaturas mais quietinhas e dóceis. Mas quando vão comer, dá uma certa sensação de surpresa e medo de ver quão afiados suas “gengivas” podem ser!

Ok Thalita, mas qual a relação disso com as pessoas?

É a seguinte: tartarugas são amáveis, um pouco assustadas, mas com o passar do tempo você as conquistas e pode até fazer com que elas comam na sua mão. Assim como você conquista pessoas com o tempo e cria fortes laços de confiança com elas. Entretanto, você não vai querer enfiar a mão na boca de uma tartaruga né? Eu jamais o faria hahaha 17 anos de convivência com as minhas e continuo achando que essa não é uma boa ideia!

Pois bem, assim como você não arriscaria passar dos limites com tartarugas, por que não respeitamos também as limitações das pessoas? Muitas vezes, nos tornamos tão íntimos e nos sentimos tão a vontade com pessoas de convivência próxima, que esquecemos que elas tem limites, que devem ser respeitados caso não queiramos nos colocar em risco, como aconteceria se enfiassemos o dedo na boca de uma tartaruga hahahah afinal, há pessoas que podem até não ser agressivas, mas ficam magoadas e se ferem por dentro. Isso não é bacana, né?

large

Vejo vocês no próximo post!

O que realmente faz um ser feliz

From We<3It
From We<3It

O que é isso que realmente te faz ficar contente, você já parou pra pensar nisso?

Eu mesma já tive muito dessas questões, dessas dúvida. Porque, a maioria de nós

sabemos o que ambicionamos, estamos em busca disso… Por exemplo, eu quero

ser uma grande arquiteta, criar projetos que melhorem a vida das pessoas, isso me

motiva. Eu me dedico todos os dias para isso. Provavelmente você também se dedica

para seus objetivos, certo?

Só que muitas vezes, esse processo nos leva a exaustão. O objetivo é interessante,

e você deve devotar as suas energias para esse propósito. Dar o melhor de si é positivo.

Porém, não deixe que isso roube a riqueza dos pequenos momentos. Pare de se culpar

por ter “perdido” alguns minutos conversando na rua ou observando um detalhe simples.

Não deixe que a sua vida se torne tão pesada a ponto de te obrigar a desistir no caminho.